Efeitos do álcool no metabolismo
Efeitos do álcool no metabolismo

Efeitos do álcool no metabolismo

O consumo de algum tipo de bebida alcoólica para fins recreativos é um costume em nossa cultura, um ritual que celebra datas especiais, aproxima pessoas e relaxa, principalmente após o expediente, mas, para o corpo, no entanto, a substância só faz mal.

O etanol é uma molécula pequena, de absorção lenta pelo estômago 20% e absorção mais rápida pelo intestino 80%. Por ser solúvel em água, ele acessa rapidamente a corrente sanguínea, de onde é distribuído para a maioria dos órgãos e sistemas. O fígado recebe concentrações maiores, assim é um órgão particularmente susceptível aos danos provocados pelo álcool, já que é o principal sítio de metabolização desta substância no organismo. Mais de 90% do álcool absorvido é eliminado pelo fígado e 2 a 5% são excretados sem modificações na urina, suor e respiração.

A consequência para quem bebe frequentemente durante muitos anos costuma ser a cirrose hepática, que é a destruição do fígado pelo excesso de álcool que é metabolizado por esse órgão. Junto com a cirrose, o alcoólatra pode desenvolver pancreatite crônica, que é a inflamação do pâncreas. A presença da substância na corrente sanguínea também afeta os rins, o cérebro e o coração. Embora a cirrose alcoólica possa levar o indivíduo à morte em função de suas complicações (ex. falha renal e hipertensão portal), ela pode ser estabilizada pela abstinência completa do álcool.

Quanto ao cérebro e ao coração, o abuso de álcool pode provocar, respectivamente, demência cerebral e insuficiência cardíaca.

Quanto à quantidade tolerável de álcool, não existe dose segura para o consumo do mesmo. O ideal mesmo é não beber. Mas se isso soa impossível, é preciso saber a hora de parar.

Se você está fazendo uso de álcool durante um evento e começou a ficar tonto, é o momento de interromper a ingestão. Beber água enquanto se toma bebidas alcoólicas também é uma boa medida. O álcool desidrata, é importante repor esse líquido. Também procure comer junto. De estômago vazio, a bebida alcoólica irrita a parede estomacal e tem absorção mais rápida.

Lembrando que as mulheres possuem menos água no corpo e isso faz com que o álcool seja metabolizado mais rapidamente trazendo efeitos mais rápidos e intensos.

Dessa forma, caso opte mesmo beber, procure se alimentar antes e durante, priorizando alimentos ricos em amido. Evite beber excessivamente, procurando ingerir, entre um copo e outro de bebida, um copo de água, evitando assim a desidratação dos neurônios, responsável pela ressaca.

 

Mônica R. Pohlenz Stolarski é nutricionista, Pós-graduada em Nutrição Clinica com área de concentração em Alimentação Institucional e Coach de saúde e emagrecimento– CRN 8 6467
Atende no antigo Filadélfia
Rua Mato Grosso, 640 – Centro
Marechal Cândido Rondon-PR
Fone: (45) 3284-7100.