Meu filho não quer provar alimentos novos, e agora?
Meu filho não quer provar alimentos novos, e agora?

Meu filho não quer provar alimentos novos, e agora?

Por Keli Lang Schäfer e Mônica R. Pohlenz Stolarski *

 

Quem nunca ouviu essa frase “Ah eu já comi uma vez e não gostei…”? Essa é uma realidade que muitos pais enfrentam diariamente querendo oferecer uma alimentação saudável para seus filhos.

Esse medo de consumir alimentos novos se chama Neofobia alimentar, é mais comum em crianças com idade entre 1 e 7 anos, mas não significa que não vá acometer em adultos também. Muitas vezes, as crianças rejeitam os alimentos sem nem mesmo prová-los.

O que os pais precisam saber é que isso não quer dizer que a criança sempre vai recusá-los. Eles poderão ser aceitos em outra ocasião, desde que sejam oferecidos novamente. A maturidade do paladar das crianças não acontece da noite para o dia. Portanto não se pode desistir de oferecer o alimento à criança nas primeiras recusas. Insista, mude a apresentação do alimento se for o caso.

Os hábitos alimentares das crianças são formados desde pequenos, e os pais são os principais colaboradores para sua formação. Os filhos tendem a optar por alimentos normalmente consumidos pelos pais e irmãos mais velhos.

 

A modulação do paladar da criança já começa durante a gestação

A partir da 20ª semana de gestação o bebê pode sentir o gosto do líquido amniótico. Esse líquido recebe os flavors, ou seja, os sabores  dos alimentos que a mãe come. O contato desse líquido com as papilas do bebê modulam seu paladar. Então, se a alimentação da gestante é rica em vegetais coloridos, fibras, sem muito açúcar e sem muito sal, o sabor predominante do líquido será dos vegetais, o que provavelmente fará com que os alimentos sejam bem aceitos na fase de introdução alimentar.

Por outro lado, se a gestante gosta dos alimentos ricos em gordura saturada, sal, açúcar, frituras, alimentos industrializados, a predominância do paladar do bebê será pra alimentos com essa composição, dificultando muito a aceitação alimentar no futuro.

Uma segunda oportunidade de modularmos o paladar de bebê é durante o aleitamento materno. Quanto mais alimentos saudáveis e naturais a lactante comer, mais flavors passarão para o leite, fazendo o bebê se acostumar com o sabor dos alimentos saudáveis.

Depois ainda temos a chance durante a introdução da alimentação complementar. É hora do bebê registrar o sabor, cor, textura e cheiro de cada alimento, por isso o cuidado de oferecer os alimentos separadamente é importante!

Se dermos tudo misturado com caldo do feijão ou com o caldo da carne, seu paladar só conhecerá o gosto do feijão e da carne. Então, à medida que vai crescendo e tendo mais autonomia passará a não aceitar os alimentos que não conhece o sabor.

É preciso ressaltar que não se devem usar estratégias do tipo: “Come toda a comida que ganha sobremesa” ou “se não comer tudo, vai ficar de castigo”. Estes artifícios não vão fazer com que a criança coma o alimento porque gosta e sim porque vai ter algum benefício ou vai ser castigada se não comer. Estratégias como estas são causadoras das fobias alimentares desenvolvidas por crianças e que podem persistir durante toda a vida.

SV 800x600 - Programa Quero Emagrecer - Kids 2

Pensando em ajudar a resolver os seus problemas, nós, nutricionistas do programa Quero Emagrecer Kids, fizemos um teste com seus filhos onde, cada uma teve a oportunidade de conhecer e experimentar diversas frutas que nunca provaram ou que não tem o habito de consumir.

Pudemos observar a resistência das crianças em experimentar alimentos diferentes. Entretanto, algumas estavam mais dispostas a experimentar frutas que não tinham o habito de comer. E o melhor: elas gostaram. Contaram que chegaram em casa e pediram para os pais comprar!

Esta experiência mostra que devemos nos empenhar, quantas vezes for necessário e de formas diferentes para conseguirmos obter melhores resultados para com a alimentação saudável de nossas crianças.

 

* Keli Lang Schäfer é nutricionista e pós-graduada em Nutrição Humana com área de concentração em nutrição clínica – CRN 8 3198

* Mônica R. Pohlenz Stolarski é nutricionista pós-graduada em nutrição clínica com ênfase em alimentação Institucional – CRN8 6467

Elas atendem no Sempre Vida Consultórios

Rua 12 de outubro, 866 – centro

Marechal Cândido Rondon-PR

Fone: 45 2031-0074

2 Comentários

  1. Meu filho so gosta de nuggets, batata só frita, pastel de vento com arroz e caldinho de feijão. Não aceita experimentar. Fiz de um tudo. Peço ajuda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *