Suplementação com Ômega 3 na Gestação
Suplementação com Ômega 3 na Gestação

Suplementação com Ômega 3 na Gestação

Você sabia que durante a gestação o uso de gorduras boas como Ômega 3 é indicado? Os cuidados alimentares durante a gestação não são uma novidade. Durante esta fase da vida da mulher, a nutrição é fundamental para garantir a saúde do feto e o seu desenvolvimento. Evidências apontam que os benefícios da ingestão de Ômega 3 durante a gestação se estendem da mãe ao bebê.
Durante a amamentação, o Ômega 3 pode repercutir e influenciar positivamente no futuro da criança, inclusive no aumento do QI (quociente de inteligência), pois, o cérebro humano é composto por quase 60% de gordura. Ele está presente nos peixes de água fria, nas nozes, na semente de linhaça e de chia, e no azeite de oliva.
Importante para a formação da membrana externa das células cerebrais, o Ômega 3 permite uma troca rápida e mais eficaz de “mensagens” entre as células nervosas no momento de maior desenvolvimento da massa estrutural do cérebro do bebê – durante o 2º trimestre e, principalmente, 3º trimestre gestacional, estendendo-se para a lactação.
A ingestão de ótimas quantidades de Ômega 3 pela mãe pode refletir positivamente durante muitos anos na vida da criança. As substâncias que exercem as funções benéficas do Ômega 3 são os ácidos eicosapentaenoico (EPA) e docosaexaenoicos (DHA). O nosso corpo não produz estes ácidos graxos e, portanto, devem ser obtidos por meio de dieta ou suplementação.
O DHA é um componente fundamental da membrana celular do cérebro e da bainha de mielina em torno de cada nervo. Ele é transferido a taxas altíssimas da mãe para o feto e essa distribuição é crucial para uma ótima saúde cerebral, ocular, imunidade e desenvolvimento do sistema nervoso. Por ser um nutriente de alta demanda do feto, em alguns casos a mãe pode apresentar carência desta gordura no seu organismo podendo ter consequências como depressão pós-parto.
A gestante de hoje não ingere a mesma quantidade de minerais em comparação com uma gestante que vivia 30 ou 90 anos atrás. Essa foi a conclusão de um estudo que avaliou em intervalos regulares, desde 1927, o teor de nutrientes em alguns alimentos. Além deste, vários estudos vêm confirmando uma carência nutricional de vitaminas e minerais essenciais crescente entre as gestantes, como o magnésio, folato, vitamina E, D ou mesmo gorduras benéficas como o DHA.
Portanto, você gestante, fique atenta para a ingestão adequada de nutrientes essências nesse período. Procure um nutricionista para te ajudar!

 

Mônica R. Pohlenz Stolarski

Nutricionista

Pós-graduada em Nutrição Clínica com área de concentração em Alimentação Institucional e Coach de Saúde e Emagrecimento

CRN 8 6467

 

Atende no Centro Administrativo – Antigo Hospital Filadélfia
Rua Mato Grosso, 640 – Centro
Marechal Cândido Rondon – PR
Fone: (45) 3284-7100