Um coração no inverno
Um coração no inverno

Um coração no inverno

Por Samuel de Assis Nascimento*

Este é o nome do filme francês que mostra a vida de um fabricante e restaurador de violinos. A tranqüilidade é abalada quando um grande amigo dele se apaixona por uma violinista sua freguesa. A amizade é colocada em risco. O restaurador, já recatado, se fecha mais em seu próprio ambiente. Torna-se mais agressivo no relacionamento.

Este também é o tema de uma preocupação anual em cada início de junho. Passar o inverno é prenúncio de viver mais um ano. Sei que o inverno trás algumas agressões ao corpo. O corpo todo sofre um pouco com o frio e com nossas reações a ele. E a reação normal é nos recolhermos à casa quentinha, como o moço do filme se recolheu em si. Ficaríamos a mofar ao lado do fogão a lenha o dia todo se o trabalho nos permitisse. Encolhemos o corpo, a tensão aumenta, a atividade muscular diminui. Sair ao vento acrescenta dores musculares. No inverno ficamos mais juntos: ‘ai que medo das gripes!’

O coração acelera, a pressão sobe em crises, as artérias se contraem, inclusive as coronárias que nutrem o coração. As agressões invernais são mais intensas para os já sofridos corações. Doentes controlados descontrolam. Os que não se cuidam tem sintomas que não esperavam. Tudo isso faz crescer o medo de morrer. Para os sadios os rigores do inverno são só exercícios fisiológicos. Como as árvores que parecem morrer ao perder suas folhas mas que mostram toda sua força ao rebrotar.

Agora estamos no fim dos frios invernais. Se Los Niños e Niñas permitirem!

Os sadios e os descuidados que sobreviveram vão relaxar novamente. Mas é preciso cuidar sempre e diariamente da saúde pra evitar doenças que podem nos levar daqui sem nem esperar o próximo inverno chegar. Exercícios diários moderados (nada de caminhadinhas leves). Comida com regras (variam com o peso, idade, colesterol e diabete). Tratar as indesejáveis e quase sempre assintomáticas mas perigosas doenças de risco: hipertensão arterial, dislipidemia e diabetes. Decidir e de fato abandonar hábitos prazerosos mas muito malvados: fumo, álcool e gula.

A primavera nos trará novo ânimo!

 

Dr. Samuel de Assis Nascimento

Médico – Especialista em Cardiologia

CRM 12089

 

Atende na CardioClínica
Rua Rio de Janeiro, 791 – Centro
Marechal Cândido Rondon – PR
Fone: (45) 3284-3000

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *