Queda de cabelos em mulheres: causas diversas
Queda de cabelos em mulheres: causas diversas

Queda de cabelos em mulheres: causas diversas

Por Karine Sperafico Pisoni Kram*

 

Uma queixa muito frequente no consultório dermatológico é queda de cabelos. Um dos tipos mais comuns de queda de cabelo é o eflúvio telógeno, caracterizado pela diminuição e queda dos fios de toda a cabeça. Em mulheres tem as causas mais diversas e, entre as mais comuns, estão as mudanças hormonais, a genética, distúrbios relacionados a tireoide, anemia, estresse e medicamentos. É normal a perda de cerca de 100 fios de cabelo diariamente e essa perda apresenta preocupação quando a perda desses fios ultrapassa essa quantidade.
A calvície feminina, também chamada de alopecia androgenética, atinge 1 em cada 5 mulheres e costuma seguir um padrão diferente da calvície masculina. A característica principal que ocorre nas mulheres com esse tipo de alopecia é um afinamento progressivo e rarefação dos fios, geralmente entre a terceira e quarta décadas de vida, com piora progressiva após a menopausa.

Ilustracao1
Como opções de tratamento, alguns medicamentos são utilizados: minoxidil 5% e 17 alfa estradiol tópicos, finasterida, espironolactona, acetato de ciproterona sistêmicos, entre outros. O segredo da alimentação contra queda de cabelo feminino está em aumentar o consumo de alimentos ricos em proteína e em selênio, um mineral importante para a formação da pele, cabelos e unhas.
Atualmente outras possibilidades de tratamentos estão sendo utilizados para evitar a queda definitiva dos fios, como tratamentos com lasers e luzes que estimulam o seu crescimento, mesoterapia e microagulhamento.

Ilustracao2
Os lasers de baixa potência são comercializados como escova de cabelo, capacete ou boné. Emitem luz vermelha diretamente sobre o couro cabeludo e são utilizados três vezes por semana, durante 15 minutos, com resultados observados em 8 a 16 semanas.
Na mesoterapia capilar, a administração dos medicamentos é feita através de injeções intradérmicas no couro cabeludo, estimulando a circulação local e aumentando a resposta terapêutica. As aplicações são com intervalo semanal ou quinzenal.
O tratamento com dermaroller consiste no microagulhamento da pele através de dispositivo com centenas de micro-agulhas provocando inflamação local e consequente regeneração tecidual.
A avaliação clínica pelo dermatologista, tanto para fazer o diagnóstico, como para escolher o melhor tratamento é fundamental. Quanto mais precoce for o diagnostico melhor será o resultado terapêutico.

* Dra Karine Sperafico Pisoni Kram é médica, especialista em Dermatologia – CRM 25107
Ele atende pelo Sempre Vida na MedClin
Fone: (45) 3284-3030

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *