Uma Campanha para Prevenir

O Outubro Rosa é uma campanha mundial, realizada anualmente, com o objetivo de alertar a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. 💟

O autoexame das mamas é a ferramenta mais acessível na prevenção ao câncer de mama. Mas é preciso que seja realizado de forma correta. Por isso preparamos três vídeos mostrando o passo a passo correto para a realização deste exame.

Com ele sendo realizado regularmente, a mulher passa a prestar mais atenção a sua própria mama, e com esse monitoramento aumentará suas chances de notar qualquer alteração que aconteça em sua mama.
➡ Vale lembrar que o autoexame não substitui o exame clínico que deve ser realizado regularmente por um médico especialista da área.
➡ O recomendado é que a partir dos 50 anos as mulheres realizem a mamografia anualmente.

Confira o vídeo que preparamos com a primeira fase do autoexame e acompanhe as outras duas fases no próximo vídeo!

#OutubroRosa
#AutoExame
#AmigodoPeito
#SempreVida
#PlanodeSaúde

 

 

Sempre Vida, Amigo do Peito!

Este é um texto técnico que tem como propósito projetar o programa do Sempre Vida voltado ao rastreamento do câncer de mama.

O programa Amigo do Peito é um programa de busca ativa, mecanismo pelo qual as beneficiárias com 40 anos ou mais são presenteadas com um exame de mamografia no dia do seu aniversário.

 

 

INTRODUÇÃO

As mamas são glândulas cuja principal função é a produção do leite, que se forma nos lóbulos e é conduzido até os mamilos por pequenos canais chamados ductos. Quando as células da mama passam a dividir-se de forma desordenada, um tumor maligno pode instalar-se principalmente nos ductos e mais raramente nos lóbulos.

Câncer de mama é uma doença que acomete mais as mulheres.

No Brasil o câncer de mama é o segundo mais incidente, após câncer de pele não melanoma, porém, é o tumor que mais mata as mulheres causando cerca de 13 mil óbitos por ano, provavelmente porque a doença é diagnosticada em estágios avançados.

 

Estimativa de novos casos: 57.120 (2014 – INCA)

Casos por 100mil

Número de mortes: 13.345, sendo 120 homens e 13.225 mulheres (2011 – SIM)

 

Em geral, o primeiro sinal da doença costuma ser a presença de um nódulo único, não doloroso e endurecido na mama. Outros sintomas, porém, devem ser considerados, como a deformidade e/ou aumento da mama, a retração da pele ou do mamilo, os gânglios axilares aumentados, vermelhidão, edema, dor e a presença de líquido nos mamilos.

A mamografia é o mais importante técnica de imagem para as mamas. Trata-se do método de escolha para rastreamento populacional do câncer de mama em mulheres assintomáticas e é a primeira técnica de imagem indicada para avaliar a maioria das alterações clinicas mamárias. Há uma ampla concordância de que o rastreamento mamográfico reduz a mortalidade pelo câncer de mama em mulheres assintomáticas.

 

  1. O CÂNCER DE MAMA

 

O segundo tipo de câncer mais frequente no mundo é o câncer de mama. É mais comum entre as mulheres e responde por 22% dos novos casos de câncer a cada ano. Se diagnosticado e tratado oportunamente, o prognóstico é relativamente bom.

No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados, o que reafirma a importância de se apostar na instrução da população como estímulo ao rastreamento precoce desta doença, de modo a ir de encontro a prevenção do câncer de mama. Para se ter uma ideia, na população mundial, a sobrevida média após cinco anos da doença instalada é de 61%.

Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta faixa etária sua incidência cresce rápida e progressivamente. As estatísticas indicam aumento de sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nas décadas de 60 e 70 registrou-se um aumento de 10 vezes nas taxas de incidência – ajustadas por idade – nos Registros de Câncer de Base Populacional de diversos continentes.

 

 

1.1 Fatores de risco para desenvolver o câncer de mama.

 

Primários :

  • Ser Mulher
  • Idade – Mais de 40 anos
  • História pessoal de câncer de mama
  • História familiar de câncer de mama ( mãe e irmã, com diagnóstico antes dos 50 anos)
  • Ter apresentado lesão mamária com hiperplasia atípica ou carcinoma lobular in situ
  • Ser portadora dos genes BRCA1 e BRCA2

 

 

Secundários

  • Menstruação antes dos 12 anos
  • Menopausa depois dos 55 anos
  • Uso de TH( Terapia Hormonal) por mais de 5 anos
  • Nulíparas( Não ter filhos)
  • Primeiro filho após os 30 anos
  • Aumento de peso pós-menopausa
  • Ingerir bebidas alcóolicas

 

1.2 Sintomas do Câncer de Mama

 

A maioria dos tumores da mama, quando iniciais, não apresenta sintomas. Caso o tumor já esteja perceptível ao toque do dedo, é sinal de que ele tem cerca de 1 cm³ .

Por isso é importante fazer os exames preventivos na idade adequada, antes do aparecimento de qualquer sintoma do câncer de mama. Entretanto, o nódulo não é o único sintoma de câncer de mama.

 

Veja outros sinais:

  • Vermelhidão na pele;
  • Alterações no formato dos mamilos e das mamas;
  • Nódulos na axila;
  • Secreção serosanguinolenta e secreção em água de rocha saindo pelo mamilo;
  • Pele enrugada, como uma casca de laranja;
  • Em estágios avançados, a mama pode abrir uma ferida.

 

Quando realizado por um médico ou enfermeira treinados, o exame clínico das mamas, pode detectar tumor de até 1 (um) centímetro, se este for superficial. A recomendação é de que este exame deva ser feito uma vez por ano pelas mulheres a partir de 40 anos.

 

1.3 Fatores  que ajudam a prevenir o câncer de mama

 

Evitar a obesidade, através de dieta equilibrada e prática regular de exercícios físicos, é uma recomendação básica para prevenir o câncer de mama, já que o excesso de peso aumenta o risco de desenvolver a doença. A ingestão de álcool, mesmo em quantidade moderada, é contra-indicada, pois é fator de risco para esse tipo de tumor, assim como a exposição a radiações ionizantes em idade inferior aos 35 anos.

Ainda não há certeza da associação do uso de pílulas anticoncepcionais com o aumento do risco para o câncer de mama. Podem estar mais predispostas a ter a doença mulheres que usaram contraceptivos orais de dosagens elevadas de estrogênio, que fizeram uso da medicação por longo período e as que usaram anticoncepcional em idade precoce, antes da primeira gravidez.

A prevenção primária dessa neoplasia ainda não é totalmente possível devido à variação dos fatores de risco e as características genéticas que estão envolvidas na sua etiologia.

 

1.4 Autoexame das Mamas

 

O INCA não estimula o autoexame das mamas como método isolado de detecção precoce do câncer de mama. A recomendação é que o exame das mamas pela própria mulher faça parte das ações de educação para a saúde que contemplem o conhecimento do próprio corpo.

Portanto, o exame das mamas feito pela própria mulher não substitui o exame físico realizado por profissional de saúde (médico ou enfermeiro) qualificado  para essa atividade.

 

Recomendações

* Fazer o autoexame das mamas mensalmente, de preferência no 7º ou 8º dias     após o início da menstruação, se você é mulher e tem mais de 20 anos, pois cerca de 90% dos tumores são detectados pela própria paciente;

* Procure o médico para submeter-se ao exame das mamas a cada 2 ou 3 anos, se está entre 20 e 40 anos; acima dos 40 anos, realize o exame anualmente;

* Não se esqueça de que a mamografia deve ser realizada  anualmente  à partir dos 40 anos.

* Atenção: embora menos comum, o câncer de mama também pode atingir os homens. Portanto, especialmente depois dos 50 anos, eles não podem desconsiderar sinais da doença como nódulo não doloroso abaixo da aréola, retração de tecidos, ulceração e presença de líquido nos mamilos.

 

 

“Apalpe-se!”

Câncer de Mama é considerado uma doença silenciosa. Costuma ser difícil de descobrir por sintomas, já que fisicamente não acontece muita coisa com o corpo. Por isso, o recomendado é que toda mulher consulte um ginecologista anualmente, que faça os exames regularmente e que fique sempre atenta as mudanças do seu corpo.

Por isso, ações de conscientização ganham evidência mundial no mês de outubro. Em Marechal Cândido Rondon, o Sempre Vida levantou a bandeira com o lema “Apalpe-se!”

Mas porque apalpar-se? O motivo é simples: quem toca os seios com regularidade sabe exatamente como eles são. Portanto, quando ele apresentar qualquer tipo de anormalidade, rapidamente perceberá.

Como já mencionado, 90% dos tumores são detectados pela própria paciente. Estimular o autoexame das mamas como prática mensal pode levar muitas mulheres a descobrir precocemente nódulos em suas mamas e, assim, antecipar o tratamento contra o câncer.

 

O que procurar?

Qualquer alteração. Pode ser um nódulo, um espessamento da pele, um ponto dolorido ou uma ferida no mamilo.

 

Quando apalpar?

Uma vez ao mês, de preferência após o período menstrual, entorno de 7 a 10 dias após a menstruação,  quando as mamas estão menos sensíveis.

 

Encontrou algo anormal?

Então, é hora de procurar um profissional médico ginecologista ou um serviço de saúde para realizar o exame clínico das mamas.

Por tudo isso Apalpe-se! Pois o conhecimento do próprio corpo é fundamental.

 

OBJETIVO 1 : rastrear o câncer de mama da população que mora em Marechal Cândido Rondon e cidades circunvizinhas.

  1. Estratégia: convocar todas as mulheres com mais de 40 anos, que sejam beneficiárias dos planos de saúde Sempre Vida, para fazer a mamografia no mês do seu aniversário.
  2. Meta: atingir cerca de 40% do público alvo da campanha de cada mês.
  3. Treinamento das técnicas em mamografia, será realizado no dia 23/05/2015, no período da manha será ministrado pela radiologista Estela R. Eidt, em forma de aula. Posteriores serão discutidos os casos com as técnicas para melhor qualidade de imagem das mamografias, diariamente.
  4. Ação 1: toda manhã, a telefonista do Sempre Vida, gerará a lista das aniversariantes beneficiárias do Sempre Vida, com mais de 40 anos.
  5. Ação 2: A partir desta lista, a telefonista entrará em contato com elas e parabenizará uma a uma as aniversariantes pela data comemorativa. Em seguida, perguntará se a aniversariante já realizou o exame de mamografia no último ano. Caso a resposta seja negativa, a telefonista convidará (lembrará) a mesma a realizar um exame de mamografia (gratuitamente pelo plano de saúde).
  6. Ação 3: sendo bem recebido o convite, a aniversariante agendará imediatamente – por telefone – o exame de mamografia no sistema do CDI, para a data que melhor convier a participante do programa.
  7. Ação 4: Na véspera do exame, uma das atendentes do CDI entrará em contato novamente com a participante para relembrá-la e confirmar a realização do exame na data agendada.
  8. Ação 5: Há uma previsão para que, no dia do exame, quando a paciente se apresentar no CDI, a atendente entregue o brinde da ação de rastreamento.
  9. Ação 6: No questionário que a técnica de mamografia preenche no ato do exame, será levantado quem é o ginecologista da participante. Esta informação é importante porque, caso a mamografia sinalizar alterações na mama, a radiologista entrará em contato com o(a) ginecologista da participante e sinalizará o caso.

Se a paciente não tiver um ginecologista de confiança, quem conduzirá o caso é a mastologista parceira do programa.

A técnica ficará responsabilizada de orientar a cada paciente de mamografia a fazer a retirada do exame e explicar a importância dela guarda-lo por pelo menos 5 anos e sempre apresentá-los ao médico quando realizar novo exame.

  1. Ação 7: Ao final do exame, a participante será orientada a retirar seu exame em três dias úteis. Caso a participante não comparece para retirar o exame, uma atende do CDI entrará em contato com a participante para lembra-la de retirar seu exame.
  2. Ação 8: Exames BIRADS 1 e 2, que são negativos, a paciente será orientada a levar ao seu ginecologista. Exames BIRADS 3, que é exame alterado, a radiologista fará observação no laudo da necessidade da repetição do exame a cada 6 meses, pelo período de 2 anos, nessa situação paciente já sai com novo exame agendado para 6 meses. Exames BIRADS 4 e 5, que são exames alterados, a radiologista entrará em contato com o médico assistente da paciente.
  3. Ação 9 – Adaptar o serviço de imagem de mama dentro da qualidade de imagem preconizada pelo colégio brasileiro de Radiologia, buscando o selo de qualidade para o serviço.

 

OBJETIVO 2:

  1. Estratégia: orientar e conscientizar a população regional quanto a importância dos exames preventivos para detecção e controle do risco de câncer de mama, no mês do Outubro Rosa.
  • Meta: ensinar a população alvo a realizar o autoexame das mamas
  • Ações: usar de workshop de – no máximo – 20 minutos para falar do câncer de mama, tipos de câncer de mama, sintomas mais comuns, métodos de rastreamento e apresentar o método de autoexame das mamas.