AVC/Derrame: uma doença de todas as idades

Por Bruno Rigon*

 

A incidência de acidente vascular cerebral isquêmico (AVC/Derrame) está fortemente correlacionada com o aumento da idade, sendo uma das principais causas de morte em idosos.

Conhecer o acidente vascular cerebral isquêmico na população mais jovem é de grande importância pois o espectro etiológico é diferente de indivíduos mais idosos. Em pessoas mais velhas, em geral maiores de 60 anos, destacam-se como principais etiologias as arritmias cardíacas, placas de gorduras em artérias carótidas que soltam êmbolos e eventos associados a Hipertensão arterial mal controlada. Já em jovens, em especial aqueles abaixo dos 60 anos, outras causas de acidente vascular cerebral isquêmico, como a dissecção da artéria cervical ou cerebral, a presença de Forame Oval Patente (FOP) ou ainda distúrbios da coagulação destacam se como as principais causas.

A dissecção arterial é um evento no qual as camadas da parede da arteira se separam gerando uma nova cavidade onde trombos e coágulos podem se formar e, posteriormente, migrar para porções mais distais dessa artéria provocando sua oclusão. Existe também a possibilidade dessa dissecção ser tão grande que provoca a oclusão in situ da artéria. Em ambos os casos o impedimento do fluxo de sangue gera o AVC/derrame por falta de sangue. Uma característica das dissecções de artérias do pescoço é se manifestar com dor no momento que ocorrem.

O forame Oval é um orifício que comunica os lados direito e esquerdo do coração durante a gestação, fechando-se logo após o nascimento. É sabido que cerca de 30% das pessoas adultas tem esse forame aberto e essas pessoas tem uma chance aumentada de desenvolver um AVC/Derrame. A importância do diagnostico desse forame está no fato de que algumas dessas pessoas teriam de fechar esse forame para reduzir o risco de novo AVC. Um dado interessante é que o FOP também está associado à Enxaqueca ou Migranea com Aura.

Já os distúrbios de coagulação são situações nas quais pessoas, que por algum mal funcionamento na capacidade do sangue formar e dissolver coágulos, tem propensão a formação de coágulos em diversas partes do corpo, inclusive no cérebro, provocando AVC.  Em geral, quando se trata de mulheres, podem também apresentar dificuldade para engravidar ou já tiveram abortos prévios, além de terem história de TVP (trombose venosa profunda) de repetição. Estes pacientes devem ser avaliados por especialistas em coagulação, o Hematologista.

 

Referências:

http://stroke.ahajournals.org/

http://www.neurology.org/

http://www.strokejournal.org/

*Dr. Bruno Rigon é Médico Neurologista – CRM-PR: 29596

Atende no Sempre Vida Consultórios:

Rua 12 de Outubro, 866 – Fone: 2031-0074

E-mail: neurorigon@gmail.com

Derrame uma Emergência Médica

* Por: Bruno Rigon

Responsável pela morte de células nervosas da região cerebral atingida, o AVC pode se originar de uma obstrução de vasos sanguíneos, o chamado acidente vascular isquêmico ou popularmente conhecido com Derrame. É tão comum que causa cerca de 1 morte a cada 3 minutos nos Estados Unidos, sendo a 2º causa de morte em idosos e a 5º causa em pessoas jovens, entre 15 e 59 anos. Suas consequências são catastróficas mesmo para aquelas pessoas que sobrevivem ao evento, produzindo milhares de indivíduos acamados, impossibilitados de andar ou de se comunicar.

O pronto reconhecimento dos sintomas que o derrame pode causar é primordial para que os cuidados médicos sejam realizados, e com isso reduzir a chance de óbito ou de sequelas. Esse passo pode ser tomado por familiares ou amigos das vitimas, que em geral são as pessoas mais próximas desse paciente no momento em que o derrame ocorre. Mas infelizmente a maioria das pessoas não conhece ou não sabem como proceder em situações como essa. Pensando nisso descrevo abaixo 3 passos para auxiliar nesse momento:

1º Solicite que a pessoa sorria: o sorriso está normal? Algum dos lados da boca esta “caído” ou não se move? Um dos olhos está mais fechado que o outro, mesmo quando a pessoa tenta olhar para cima?

2º solicite que a pessoa fale seu nome e data de nascimento: esta pessoa é incapaz de fazê-lo? Ele/ela não entende o que lhe foi perguntado? Responde outra coisa sem relação com o que foi perguntado?

3º solicite que a pessoa mantenha os braços elevados com os olhos fechado e conte até 10: um dos braços cai? Ele/ela não compreende o que deve ser feito?

Se a resposta para pelo menos uma das perguntas anteriores for sim, essa pessoa pode estar sofrendo um Derrame e deve ser levada ao pronto socorro mais próximo imediatamente. Esta é apenas uma forma de se suspeitar do AVC, e não substitui o exame e avaliação médica.

Mas ainda hoje, mesmo com todas as tecnologias disponíveis, a prevenção ainda é a melhor solução, não espere este drama ocorrer em sua vida para prevenir. Faça atividades físicas regularmente, mantenha uma dieta saudável, tome suas medicações de maneira regular e não deixe o estresse dominar seu dia-a-dia.

 

* Dr. Bruno Rigon é Médico Neurologista – CRM-PR: 29596

Atende no Sempre Vida Consultórios:

Rua 12 de Outubro, 866 – Fone: 2031-0074

E-mail: neurorigon@gmail.com