Bebeu água? Não! Tá com sede? Sim!

Por muitas e muitas vezes nosso corpo pede por água e não é atendido. Poucas pessoas veem a água como um nutriente e mal sabem que nossa sobrevivência depende mais desse líquido do que qualquer substrato energético que de possamos ingerir.

Enquanto os seres humanos podem viver durante meses sem alimento, a morte pode ocorrer em questão de poucos dias sem a ingestão de água. Ela desempenha diversas reações e ações fundamentais para o nosso organismo, sendo um veículo de transporte para nutrientes como: oxigênio, sais minerais através do sangue, linfa e outros fluídos corporais, auxiliam na manutenção da pressão, acidez e é o meio no qual ocorrem quase todas as reações bioquímicas que sustentam a vida. A presença da água em quantidades adequadas é essencial para o funcionamento normal do sistema cardiovascular, respiratório, digestivo, regulação térmica do corpo, além da absorção de choques através da lubrificação de vários compartimentos e articulações.

A quantidade de água corporal depende de três fatores: idade, sexo e adiposidade. O conteúdo total de água no corpo é em torno de 60 a 65% do peso corpóreo em homens e 10% a menos nas mulheres. Esta variação acorre pela maior concentração de gordura corporal nas mulheres. Já as crianças possuem cerca de 80% do peso constituído por água e nos idosos esse percentual fica entre 40 a 50%. O corpo não possui condições para o armazenamento de água, portanto a quantidade de água perdida a cada 24 horas deve ser reposta para manter a saúde. A recomendação de água para adultos é de 35 ml por kg de peso corporal, em crianças de 50 a 60 ml por kg e 150 ml por kg para crianças de até dois anos de idade. Para mulheres que amamentam essa necessidade aumenta em 700 ml a mais por dia. Em média temos uma perda de água de 2.800 ml ao dia que ocorre através da urina, fezes, suor, respiração e pele.

A necessidade diária de água também é suprida em partes pela nossa alimentação. Alguns dos alimentos que se destacam pela sua grande quantidade de água são: alface, pepino, repolho, melancia, brócolis cozido, leite desnatado, espinafre, vagem cozida, laranja, maça, uva entre outras.

O fato de não sentirmos sede não deve ser usado como parâmetro de que o corpo esteja completamente hidratado. Portanto, se na sua auto-avaliação você descobriu que está tomando pouca água, adote uma garrafinha e mantenha-se hidratado.

Por: Simone Giese
Nutricionista – CRN 2516